Número total de visualizações de página

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Partidos vão gastar milhões em festas e brindes

Confira os orçamentos entregues pelos partidos políticos e faça também o seu juízo

Em tempo de contenção de gastos, os partidos políticos preparam-se para gastar mais de dois milhões e meio de euros (2.744.195) só em comícios, festas, brindes e ofertas durante a próxima campanha eleitoral.

O mais gastador, de longe, nesta área, é o Partido Socialista, sendo que tem destinado para comícios e espectáculos quase 900 mil euros (896.536) e cerca de 400 mil euros (386.964) para brindes e outras ofertas. Esta será, aliás, uma grande diferença em relação às outras forças partidárias, sendo que muitas delas nem sequer têm qualquer verba destinada para ofertas. O PSD, por exemplo, vai gastar apenas 40 mil euros e o Bloco zero.

As estratégias de comunicação serão muito diferentes, pelo que é possível aferir nos orçamentos. A aposta primordial dos dois principais partidos surge nos comícios e espectáculos, mas o PSD insiste também na propaganda, comunicação impressa e digital, para onde tem destinados 458 mil euros.

A publicidade, comunicação impressa e digital são, aliás, a grande aposta da CDU, que destina mais de metade do seu orçamento (595 mil) para esta área. O mesmo acontecerá, curiosamente, com o Bloco de Esquerda, que coloca neste último item quase metade do seu orçamento (320.709).

Já o CDS-PP coloca grande parte das suas fichas na concepção de campanha, agências de comunicação e estudos de mercado (245 mil euros).

Segundo os orçamentos entregues na entidade de contas e financiamentos políticos, e disponibilizados pelo Tribunal Constitucional, é possível conferir que o PS prevê gastar no total 2,2 milhões, menos 60 por cento do que nas eleições de 2009. Já o PSD pretende despender 1 milhão 990 mil euros, menos 40 por cento da verba utilizada nas legislativas de há dois anos.

A CDU irá fazer campanha com 995 mil euros, menos um milhão do que nas anteriores eleições. O Bloco de Esquerda e o CDS, por seu lado, ficam-se pelos 700 mil euros.

(Diário.iol – 27/04/2011)

Sem comentários:

Enviar um comentário