Número total de visualizações de página

sábado, 11 de junho de 2011

PME: para onde foi o dinheiro destinado ao interior?



Associação reage ao discurso feito pelo Presidente da República no Dia de Portugal

A Associação Nacional das Pequenas e Médias (ANPMES) defendeu hoje que é preciso saber para onde foram 60 mil milhões de euros de fundos europeus que entre 2000 e 2006 deviam ter sido investidas no interior.

Em comunicado citado pela Lusa, a associação refere-se ao discurso do Presidente da República nas comemorações do Dia de Portugal, em que Cavaco Silva disse ser «urgente dar incentivos ao crescimento das regiões do interior ou assimétricas».


«Onde foram aplicados 60.000 milhões de euros, referentes às dotações do QCIII (Quadro Comunitário) 2000/2006 e QREN (Quadro de Referência Estratégico Nacional), uma vez que estas transferências líquidas da UE (União Europeia) para o nosso País, deviam ter sido investidas, precisamente no desenvolvimento das Regiões de Convergência, ou Regiões do Interior?», questiona a associação.


Os pequenos e médios empresários lamentam que «a única sanção que os políticos responsáveis pela gestão danosa têm é perder as eleições».

A associação questiona ainda de onde virá o dinheiro público para investimento no interior porque o empréstimo externo vai «servir para pagar dívidas de curto prazo» e porque «os empresários e a banca estão descapitalizados».

Para a ANPMES, a União Europeia vai ter que «controlar as soberanias orçamentais» dos estados «despesistas» como Portugal ou «reduzir as dívidas, perdoando impostos às PME e às famílias».

(Agência Financeira – Diário iol – 11/06/2011)

PS: Sabendo o que se passava, porque só falam agora? Porque o presidente da República veio destilar mais um pouco de veneno, como é seu apanágio?

Pois deve muito ao governo cessante, apesar do que se diga… mas agora torna-se necessário «proteger» um “Delfim» de Vila Real que, apesar de tudo, não se conservará muito tempo no governo.

Perguntem a Manuela Ferreira Leite e outros barões do PSD…

Lembremo-nos de que foi o actual presidente quem distribuiu subsídios para acabar com explorações agrícolas e abater barcos de pesca.

Quem irá, pois, trabalhar as terras abandonadas? Os jovens licenciados que campeiam no desemprego, ou os velhos e velhas que já mal podem com eles/as?

Deveria haver um pouco mais de pudor nas atitudes que se tomam.

Sem comentários:

Enviar um comentário