Número total de visualizações de página

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Porque é agradável ouvir música?!!



No chamado “ruído”, misturam-se sons de muitas frequências diferentes e sem sequência ordenada, por tal forma que, para o nosso ouvido, não fazem qualquer sentido.

A música, contudo, oferece ao nosso sistema auditivo sons agrupados segundo esquemas ordenados, e o ouvinte reage com agrado ao ritmo repetido dos tambores e às harmonias de timbre diverso dos instrumentos de corda ou de sopro.

As notas que, tocadas simultaneamente, produzem um som agradável, possuem frequências entre as quais existe uma relação matemática específica.

Por exemplo, a frequência do dó central é exactamente quatro quintos da do mi que se lhe segue; em conjunto, estas notas formam um acorde harmonioso.

Além disso, verifica-se que as pessoas têm tendência a ouvir de forma integrada, harmónica e diferenciada uma sucessão de tons de alturas inter-relacionadas, mesmo que entre elas se misturem outros tons.

Aparentemente, é assim que conseguimos distinguir e apreciar a melodia tocada por determinado instrumento dentro duma orquestra.

Como as mães sabem, as crianças reagem bem aos sons ordenados.

As notas mais baixas e os sons repetidos são particularmente calmantes.

A investigação tem mostrado que, sempre que se toca música calmente numa enfermaria de cuidados intensivos para bebés prematuros, estes ganham peso rapidamente.

A criança já ouve dentro do ventre da mãe.

Pensa-se que o sentido da audição se desenvolve na vigésima semana da gravidez, oito semanas antes da visão.

Há mesmo provas de que as crianças reconhecem, antes de nascerem, a voz da mãe; estudos reflexos de sucção dos fetos mostram que estes chupam o dedo mais rapidamente quando ouvem a mãe falar.

O ouvido dos recém-nascidos é um pouco menos apurado que o das crianças mais velhas, mas a sua acuidade aumenta em poucos dias.

Demora mais o desenvolvimento da capacidade do cérebro para interpretar os sons que ouve.

A princípio, a criança reage aos sons mais fortes agitando os braços e as pernas – reflexo de susto – que se vai acalmando.

De momento, parecemos todos crianças, à espera de vermos e ouvirmos que novas músicas nos irão presentear os novos membros da orquestra
Nacional…

Sem comentários:

Enviar um comentário