Número total de visualizações de página

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Os tempos mudaram desde então

Conta uma história antiga que, um homem muito devoto foi acusado, injustamente, de ter morto a mulher.

Na verdade, o autor do crime era uma pessoa influente e, por isso, desde o primeiro momento se procurou um bode-expiatório para acobertar o verdadeiro criminoso.

Entretanto, o acusado foi levado a julgamento e todos sabiam, antecipadamente, o resultado. A morte pela forca.

Ele e todos sabiam que tudo seria feito para o condenar e que poucas hipóteses teria de se livrar. Ou nenhumas.

O juíz estava também combinado para levar o pobre homem à morte. Simulou um julgamento justo, propondo ao acusado que provasse a sua inocência.

Disse, então: «Sou profundamente religioso e, por isso, deixarei a sua sorte nas mãos do Senhor. Escreverei num papel a palavra “Inocente” e notro, a palavra “Culpado”. Você tirará um dos papeis e aquele que lhe sair será o veredicto. O Senhor decidirá o seu destino.»

Sem que o acusado se apercebesse, o juíz preparou os dois papeis. Mas, em ambos escreveu a palavra “Culpado”. De forma que, naquele instante, não havia hipótese alguma de o acusado se livrar da forca.

Não havia saída. Não havia qualquer alternativa para o pobre homem pobre.

O juíz colocou s dois papeis sobre a mesa, dobrados em quatro, e mandou que o acusado escolhesse um deles.

O homem pensou uns segundos e, pressentindo a trama, aproximou-se confiante da secretária, pegou num dos papeis e, rapidamente, engoliu-o.

Todos os presentes reagiram surpreendidos e indignados com a atitude do homem.

«Mas, que fez você? E agora? Como vamos saber qual o veredicto?»

“É muito fácil, respondeu o homem. Basta ver o que está escrito no outro papel e ficaremos a saber o que estava escrito naquele que engoli.” Imediatamente foi posto em liberdade.

Por mais difícil que seja a situação, nunca devemos deixar de acreditar e lutar até ao último momento. Lembremo-nos que, para qualquer problema há sempre uma solução.

Não devemos desistir nunca. Não nos entreguemos nem nos deixemos derrotar. Quando tudo parece perdido, ousemos e vamos em frente, apesar de tudo e todos.

Acreditemos que podemos conseguir. E, acima de tudo, saibamos lutar quando sabemos que temos a razão do nosso lado.

Sem comentários:

Enviar um comentário