Número total de visualizações de página

quarta-feira, 13 de março de 2013

Urgente -- 48h para proibir os pesticidas letais


Caros amigos em toda Europa, 

Dentro de dois dias, a União Europeia irá decidir se banirá ou não os pesticidas tóxicos que estão matando as abelhas em todas as partes do mundo e ameaçando o fornecimento de alimentos. As grandes corporações que lucram com este negócio vil realizam lobby furiosamente para derrotar o banimento dos pesticidas e há pouco descobrimos que governos importantes estão prestes a desistir diante da pressão corporativa -- a menos que eles sintam uma ferroada da opinião pública! 

O desaparecimento das abelhas no mundo acontece em velocidade alarmante. Justamente porque as abelhas polinizam as nossas produções agrícolas, especialistas têm alertado que estas mortes em massa são uma ameaça catastrófica para o fornecimento de alimentos. Felizmente, inúmeros estudos identificaram o provável culpado: uma certa classe de pesticidas nocivos. Um relatório oficial da União Europeia descobriu que o banimento destes pesticidas solucionaria o problema, mas
 a gigante Bayer, produtora de pesticidas, está tentando convencer nossos líderes a ignorar a ciência para proteger seus próprios lucros. 

Mais de 2.5 milhões de nós já assinaram a petição que fez desta votação uma realidade, e agora é chegada a hora de dizer aos nossos políticos que eles precisam ficar do lado da ciência, nesta semana, para salvar as abelhas.
 Vamos inundar as caixas de entradas dos nossos Ministros de Agricultura, expulsar o lobby corporativo, e garantir que nossos governos salvem as abelhas e nosso alimento -- clique abaixo para enviar uma mensagem e compartilhe esta urgente campanha com seus amigos: 

https://secure.avaaz.org/po/bye_bye_bee_killers_portugal/?bKMKFdb&v=22980 

As abelhas não só produzem mel, mas são vitais para a vida na Terra
 – a cada ano elas polinizam 90% das plantas e plantações com um valor estimado em 30 bilhões de Euros, mais de um terço da produção de alimentos em muitos países. Sem ações imediatas para salvar as abelhas, muitas das nossas frutas, legumes e nozes preferidas poderão desaparecer das prateleiras. 

No mês passado, a Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar deu a mais constrangedora evidência já vista de que os produtos químicos tóxicos chamados
 "pesticidas neonicotinoides" podem ser os responsáveis pela morte das abelhas. A Itália baniu alguns dos usos destes pesticidas assassinos de abelhas e já tem indícios de que a população de abelhas no país voltou ao normal, mas a Bayer e Syngenta estão fazendo lobby para prevenir a proibição em toda a Europa, com medo de danificar o seu negócio global. E aparantemente eles estão a um passo de conseguirem o apoio de países como Reino Unido, Espanha e Alemanha, que querem proteger suas grandes corporações químicas. 

Neste momento, o debate está pegando fogo. Há algumas semanas, a Avaaz entregou a petição assinada por mais de 2.5 milhões de nós para a Comissão Europeia, que sugeriu a proibição alguns dias depois da nossa entrega. Parlamentares da UE estão aumentando a pressão e uma série de outros governos Europeus anunciaram planos para introduzir novas leis para banir os pesticidas mortais por conta própria. Portanto, temos o poder de vencer esta luta, mas precisamos de um último momento de pressão para nos impormos sobre o lobby dos pesticidas. Clique para enviar uma mensagem pedindo aos nossos governos que apoiem a proibição dos pesticidas e, em seguida, compartilhe com outros:
 

https://secure.avaaz.org/po/bye_bye_bee_killers_portugal/?bKMKFdb&v=22980 

Nosso mundo está cercado de ameaças para as condições que o tornam habitável, e para tudo aquilo que o torna maravilhoso. A comunidade Avaaz se reúne para defender os dois - seja grande ou pequeno. Seja vencer uma batalha para impedir a Comissão Baleeira Internacional de sancionar o assassinato destes enormes mamíferos, seja para salvar as abelhas, estas pequenas criaturas das quais tanto dependemos. Vamos nos unir e defender o mundo que todos queremos.
 

Com esperança,
 

Iain, Marie, Pascal, Emma, Ricken, Alaphia, e a equipe da Avaaz
 

Sem comentários:

Enviar um comentário