Número total de visualizações de página

sábado, 13 de abril de 2013

Coreia do Sul abre portas ao diálogo com o Norte

A Presidente do país afirmou que Seul deve "ouvir o que a Coreia do Norte pensa" sobre a situação na península.
O secretário de Estado norte-americano está esta sexta-feira em Seul

A Coreia do Sul deu esta sexta-feira um sinal claro de que pretende aliviar a tensão na península, com uma declaração inequívoca da Presidente do país, Park Geun-hye: Seul deve falar com Pyongyang e "ouvir o que a Coreia do Norte pensa."
Numa declaração lida após um encontro entre a chefe de Estado da Coreia do Sul e o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, a porta-voz da Presidência, Kim Haing, disse que "a Presidente Park está a trabalhar para desenvolver a confiança mútua e concretizar o desenvolvimento conjunto, se a Coreia do Norte aceitar fazer mudanças e se mostrar receptiva ao diálogo".
Também esta sexta-feira, após uma reunião com o secretário-geral da NATO, Anders Fogh Rasmussen, Park Geun-hye fez saber que, se a Coreia do Norte "entrar no caminho certo", Seul irá "iniciar um processo de confiança na península coreana e construir a paz na península e no Nordeste asiático".
Mesmo sem nunca deixar de frisar que Pyongyang deve respeitar as resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas e "abandonar as suas ambições nucleares", o novo discurso da Presidente sul-coreana é visto como uma tentativa de aliviar a tensão na península. Segundo a agência Yonhap, vários analistas consideram que "a abertura ao diálogo pode ser uma forma de proporcionar a Pyongyang uma saída honrosa para o jogo perigoso que tem mantido com o Sul há meses".
A proposta de Park – transmitida em primeira mão pelo porta-voz do Ministério da Unificação – é interpretada pela Yonhap como um passo em frente na posição oficial do Sul. Até agora, o Governo de Seul tem insistido na "criação de condições" para que os dois países possam dialogar e tem "evitado comprometer-se com a realização de conversações, que poderiam ser vistas como uma cedência à pressão da Coreia do Norte". Mas o porta-voz do Ministério da Unificação, Kim Hyung-suk, anunciou esta sexta-feira que Seul já transmitiu a Pyongyang a sua vontade de dialogar sobre a situação na península coreana. O responsável disse que Seul ainda não obteve qualquer resposta, mas desvalorizou a falta de reacção de Pyongyang, ao sublinhar que "o Norte estará, provavelmente, a estudar a mensagem".
Kim Hyung-suk repetiu depois a disponibilidade da Coreia do Sul para dialogar com o Norte: "Os comentários feitos na quinta-feira [pela Presidente sul-coreana] podem ser interpretados como uma mensagem de que a Coreia do Sul quer dialogar e que o Norte deve fazer o mesmo." O porta-voz do Ministério da Unificação disse mesmo que Kim Jong-un só tem de "aceitar o apelo" e que, se assim for, "não há razões para que Seul se recuse a negociar".
A notícia surge no dia em que o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, chegou à Coreia do Sul, onde se reuniu com a Presidente Park Geun-hye e com o ministro dos Negócios Estrangeiros, Yun Byung-se.
 
=Público=

Sem comentários:

Enviar um comentário