Número total de visualizações de página

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Frio em Março na Europa fica entre os mais intensos desde que há registos


Nevão na Polónia no fim-de-semana deixa 100 mil casas sem electricidade.
Uma árvore caída perto de Varsóvia, Polónia

A Europa enfrentou um dos seus meses de Março mais frios de sempre, com temperaturas baixas a atrasarem a chegada da Primavera.
Num balanço provisório, a agência meteorológica alemã (DWD) diz que a temperatura média no país, até dia 28, foi de apenas 0,2 graus Celsius – 3,3 graus abaixo da média de 1961-1990 e 4,1 graus abaixo da média de 1981-2010.
Terá sido o sexto Março mais frio, desde que se iniciou, na década de 1880, a recolha sistemática de dados meteorológicos com instrumentos. Na região Nordeste do país, os meteorologistas estimam que foi o Março mais frio dos últimos 120 anos.
No Reino Unido, o balanço também vai no mesmo sentido: foi o quarto Março mais frio desde 1910 e o mais frio desde 1962, segundo a agência meteorológica britânica (Met Office).
Na Polónia, o mês encerrou com um forte nevão, causando estragos na rede nacional de energia e deixando mais de 100 mil casas sem electricidade nas regiões Centro e Nordeste do país.
“As árvores tombaram com o peso da neve e caíram sobre as linhas de electricidade, deitando-as abaixo em muitos sítios. Às 6h locais, cerca de 81 mil casas estavam sem energia eléctrica na zona de Varsóvia e 21 mil na região de Bialystok, no nordeste”, lê-se num comunicado emitido pela empresa distribuidora de energia eléctrica polaca, PGE, citado pela AFP.
Desde domingo que neva intensamente no país. A neve chegou aos 30 centímetros de altura e está a perturbar a circulação rodoviária em várias zonas.
Mais a Sul, na República Checa e na Eslováquia, a neve atingiu 40 centímetros de altura em 24 horas em algumas regiões, causando também complicações no trânsito.
 
=Público=

Sem comentários:

Enviar um comentário